Buscar
  • jessicamylla

Saiba mais sobre enjoo na gravidez e as semanas mais comuns para sentir

Os enjoos no início da gravidez são sintomas comuns da gestação e que podem vir acompanhados de vômitos ou cansaço. As náuseas podem acometer de 70% a 80% das gestantes no primeiro trimestre. Não existe consenso, mas a principal causa pode estar relacionada às alterações hormonais ocorridas após a fecundação do óvulo. Assim, os enjoos costumam estar atrelados ao aumento nos índices do HCG (Hormônio Gonadotrofina Coriônica Humana ou hormônio da gravidez) e progesterona.


Semanas mais intensas de enjoo


Normalmente, os enjoos podem começar em torno da 5ª ou 6ª semana de gestação, mas nada impede que eles ocorram antes ou depois desse período. Normalmente, mulheres grávidas de gêmeos costumam ter mais enjoos, pois apresentam índices maiores do HCG.


Os enjoos logo no início da gravidez são, sim, sintomas comuns e normais. Muitas vezes o problema é chamado de “enjoo matinal”, porque é comumente o horário em que os sintomas estão piores. Mas podem ocorrer em qualquer horário. As semanas mais intensas de enjoo costumam ser no primeiro trimestre da gravidez, sendo assim, até a 12ª semana. Após o terceiro mês de gestação, eles costumam ficar mais leves e, por volta do quinto mês, terem bem menos ocorrência. Existem, porém, relatos de mulheres que podem sentir desconfortos até a 20ª semana da gestação ou ter o sintoma durante toda a gestação, mas são casos muito raros entre os médicos.


Prevenção


Existem algumas dicas básicas para que as gestantes evitem “gatilhos” de enjoo. Alguns deles são:

Evite perfumes e produtos de limpeza com cheiros muito fortes;

Continue sua ingestão de líquidos, mesmo se não quiser comer sólidos;

Não fique muito tempo sem comer. Fracionar as refeições é importante para o estômago não ficar vazio e aumentar o mal-estar;

Fique relaxada e respire lentamente;

Ao sentir enjoos pela manhã, a dica é comer uma ou duas bolachas de água e sal para melhorar os sintomas; alimentos ricos em carboidratos ou frutas também podem amenizar a situação. Outro ponto muito importante é que a gestante não deve se automedicar, em nenhuma hipótese. É fundamental destacar que os medicamentos, mesmo os seguros para o feto, só podem ser prescritos por um médico.


Leia também: Dicas para um acompanhamento gestacional adequado


Hiperêmese gravídica


Em cerca de 1% das mulheres que sofrem com enjoos durante a gestação, o mal-estar vem com frequência e intensidade excessivas, somado a um sofrimento psicológico que oferece risco à saúde da mãe e do bebê. É a hiperêmese gravídica, situação em que a gestante não consegue se alimentar direito e pode ocasionar um quadro de fraqueza, desnutrição, desidratação e perda de peso acentuada.

Na gestação de gêmeos, quando há concentração maior do hormônio beta HCG (produzido na gravidez) no organismo, a hiperêmese gravídica é mais comum. Há também influência de fatores psicológicos, como problemas no relacionamento, gravidez indesejada, além da ansiedade e do estresse comuns a esse momento.

Mais de três episódios de vômito por dia e surtos de náusea em intervalos menores de seis horas são indicativos de hiperêmese gravídica. Não há prevenção para o problema, já que ele depende da sensibilidade de cada mulher à flutuação hormonal.



mulher grávida com enjoo

Fontes: Portal Criovida UOL VivaBem

10 visualizações0 comentário