Buscar
  • jessicamylla

Álcool na gravidez: nunca é permitido beber

Especialistas em todo o mundo são contra o consumo de álcool durante a gravidez. A Academia Americana de Pediatria (AAP), em recomendação de 2021, defendeu que nunca seja consumida nenhuma quantidade no período que durar a gestação.

Caso você tenha dúvidas sobre o que é permitido ou não durante a gestão, entre em contato com os profissionais do Hospital e Maternidade Brígida, em Curitiba (PR), uma das maiores referências na Região Sul há mais de 40 anos.


Razões para não consumir


O álcool pode ter efeitos nocivos sobre o feto. De acordo com a Academia Americana de Pediatria (AAP), “a exposição pré-natal ao álcool pode afetar o desenvolvimento do feto e é a principal causa evitável de defeitos de nascimento”.

O principal problema, de acordo com os profissionais, é a síndrome alcoólica fetal (SAF), uma gama de efeitos adversos no bebê associados ao consumo materno de álcool. A SAF é considerada a maior causa de déficit intelectual do mundo.


Síndrome alcoólica fetal (SAF)


A SAF é a forma mais grave de um espectro de transtornos relacionados ao uso do álcool (FASD), que também inclui:

1) a síndrome alcoólica fetal parcial;

2) alterações ao neurodesenvolvimento;

3) malformações congênitas ambas ligadas ao álcool.

A estimativa é que ocorram de 0,5 a 2 casos de SAF em cada mil nascidos vivos. De acordo com dados fornecidos pelo Ministério da Saúde, no Brasil um a cada mil bebês nascidos vivos apresenta a síndrome.

O álcool é uma substância teratogênica capaz de produzir danos irreversíveis no embrião e no feto durante a gestação da mulher. Ele penetra na corrente sanguínea da gestante, atravessa a placenta e alcança o feto pelo cordão umbilical.

Como o fígado do feto ainda não está preparado para metabolizar essa substância, seu corpo fica exposto por mais tempo à mesma quantidade de álcool que circula no organismo da mãe. Nessas situações, os estragos permanentes que provoca vão desde alterações mais leves - às vezes imperceptíveis no momento do parto -, até a forma grave da síndrome alcoólica fetal, que afeta principalmente o cérebro e o sistema nervoso central.

A SAF é a única causa conhecida de retardo mental inteiramente prevenível porque basta que a mulher suspenda completamente o consumo do álcool durante a gravidez.


Prevenção

A única forma conhecida de prevenção é a mulher interromper o consumo de álcool durante a gravidez. Inclusive, o ideal é que ela aja assim a partir do instante em que decidiu engravidar, se possível; isso porque o cérebro do feto já estará exposto à ação do álcool a partir da primeira semana de gravidez.


Fontes: Portal Dráuzio Varella Portal Minha Saúde

Revista Crescer



álcool na gravidez, nunca é permitido beber

15 visualizações0 comentário